Como as baleias poderão ajudar à resolução de tumores

Como as baleias poderão ajudar à resolução de tumores

 

Se falarmos em proporções, se nós, humanos, temos alguma probabilidade de ter cancro, então um animal como a baleia, sendo um dos mais longevos e maiores mamíferos, deveria ter uma probabilidade de contrair a doença ainda maior que a nossa.
 
O que tem sido estudado é que quanto maior o animal e a sua longevidade, menor a probabilidade de contrair células cancerígenas. Contudo, como é que este animal arranjou este mecanismo de defesa, ninguém conseguia entender.
 
Um estudo feito por Daniela Tejada-Martinez, para a sua tese de doutoramento, investiga a evolução da supressão de genes dos tumores (TSGs) nos ancestrais dos cetáceos e em duas das principais linhagens de baleias: baleias de barbatana (como as Baleias da Gronelândia, a Baleia Azul, …) e as baleias de dentes (como as Belugas, Orcas, Golfinhos, …).
 
Os genes supressores de tumores são talvez os constituintes de resposta anticancerígena mais importantes do corpo porque estão incluídos em complexas reações como na reparação do DNA, paragem de ciclos celulares e apoptose. Os nossos tumores acontecem quando começa a haver uma falha nesses genes supressores.
 
Estudos feitos dizem que temos 99% dos TSGs em comum com estes cetáceos. E o estudo de Daniela veio concluir que os genes destes animais que estão envolvidos no controlo do aparecimento do cancro são selecionados positivamente e que têm uma taxa de renovação de TSGs 2.4 vezes maior que dos restantes animais. Esta taxa de renovação está associada à duplicação de genes.
 
Estes três mecanismos de controlo do aparecimento de cancro, taxa elevada de renovação e de duplicação génica estão na base para uma melhor prevenção do nosso organismo para aparecimento desta doença.
 
Este tipo de descobertas e outras de tamanha importância são as que poderão resolver todo o problema de evitar e solucionar os diferentes tipos de tumores.
 
VER MAIS